Virgin Atlantic e a Flying Lady

Atualizado: 5 de Abr de 2019

Para atender necessidades domésticas, a empresa aérea Virgin Atlantic foi criada pelo bilionário Richard Branson, dono do Grupo Virgin. Seus investimentos variam de música a aviação, vestuário, biocombustíveis e viagens espaciais. Fundada em 1984, a empresa especializou-se em voos intercontinentais de longo curso e hoje possui uma frota de 50 aviões, indo para 31 destinos diferentes, incluindo América do Sul, Ásia e África.



Pin-ups em aviões

A primeira aeronave da companhia continha apenas identificação visual habitual com linhas, mas em 1984 ganhou mais vida com uma ilustração pin-up de Alberto Vargas, a famosa "Flying Lady", que traz junto a ela a bandeira da Inglaterra. A importância da ilustração era tamanha para Branson que a aeronave foi registrada como G-VGAS em homenagem ao ilustrador.


G-FAB Boing 747 da Virgin Atlantic

Detalhe do logo completo da Virgin Atlantic

Nose art

Específico da Segunda Guerra Mundial, nose art é um tipo de customização que os soldados utilizavam da força aérea utilizavam como incentivo no período da guerra, além dos famosos pôsteres, calendários e uniformes pintados. O Brasil também teve sua participação na Segunda Guerra e utilizou-se dos mesmos desenhos para enfeitar suas aeronaves na época.




Exemplo de nose art usada pelo Brasil em 1945. "Senta a Pua!" é o símbolo e grito de guerra do 1º Grupo de Aviação de Caça da Força Aérea Brasileira que atuou na Segunda Guerra Mundial.

Do desenho à vida real

Com a volta da cultura dos anos 40 e 50 na mídia, artistas como Dita Von Teese alcançaram a popularidade com seu estilo único e elegante de pin-up. Em 2010 a Virgin Atlantic aproveitou a carona e fez uma edição especial de 10 anos da empresa com a artista burlesca desenhada em uma de suas aeronaves. A ação rendeu belíssimas fotos com Dita, trazendo à vida real uma verdadeira pin-up vinda dos anos 1940. Em um dos gestos mais emblemáticos do bilionário Branson, ele aproveitou e segurou-a em seus braços.





Representatividade

Depois de muitos anos com a famosa "Flying Lady", em 2019 a Virgin Atlantic substituirá a pin-up por outros ícones que tem como objetivo incentivar a representatividade de gêneros e opções sexuais dentro e fora da empresa. Essa é uma tendência que tem crescido exponencialmente no mundo dos negócios a fim de identificar e fidelizar vários tipos de pessoas. Só sentimos falta de algum modelo mais cheinho e deficientes, não?! Mas é uma ótima iniciativa.




19 visualizações